HORÁRIO DE ATENDIMENTO SEG À SEX:
DAS 9H ÀS 17H
Sindicato dos Bancários de Paranaguá

Bancos propõem reajuste de apenas 65% da inflação

22/08/2022
/
739 Visualizações

Comissão Nacional dos Bancários recusou em mesa proposta que imporia perda real de 2,9% à categoria bancária; negociação foi suspensa e será retomada nesta segunda-feira

Em reunião de negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, ocorrida nesta sexta-feira (19), a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) tinha feito uma proposta para que alguns bancos pudessem reduzir o valor máximo da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) a ser distribuída aos empregados. Diante da recusa da Comissão, os bancos retiraram a proposta da PLR, mas apresentaram outra ainda pior para a categoria, com reajuste de apenas 65% da inflação acumulada entre 1º de setembro de 2021 e 31 de agosto de 2022 para o salário e todos os direitos econômicos. A Comissão Nacional dos Bancários rejeitou a proposta em mesa de negociações.

As últimas projeções do Banco Central apontam uma inflação de 8,95% para o período e os bancos querem conceder reajuste de apenas 5,82%. O índice proposto representa uma perda real de 2,9% para a categoria.

É um absurdo os bancos terem apresentado tal proposta após obterem aumento de 14,4% no lucro semestral e tido uma rentabilidade de 18% em 12 meses. Isso é desvalorizar todo o esforço que a categoria fez durante os últimos anos para que os bancos mantivessem lucros astronômicos e alta rentabilidade.

Nos seis primeiros meses de 2022, os cinco maiores bancos do país (Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander) arrecadaram R$ 74,2 bilhões com tarifas cobradas dos seus clientes, alta de 7,5% em relação ao mesmo período de 2021.

Depois de 12 rodadas de negociações, os bancários estavam aguardando uma proposta que valorizasse seu empenho. Os bancos sufocam os clientes com tarifas caras, lucram muito com os juros altos e não querem valorizar os bancários.


Pressão e cobrança
Os membros do Comissão Nacional dos Bancários irão para São Paulo para, a partir de segunda-feira (22), negociar presencialmente com os bancos.

A orientação é para que a categoria mantenha a pressão sobre os bancos, com postagens que mostrem o absurdo que é um setor que lucra tão alto se recusar a conceder reajuste acima da inflação para os seus funcionários. E, com dados que mostrem que eles podem atender as reivindicações da categoria.

Próxima negociação
A próxima reunião de negociação será realizada presencialmente, em São Paulo, nesta segunda-feira (22), a partir das 14h. (Fonte: Com Seeb-SP)

Notícias Feeb/PR

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS