HORÁRIO DE ATENDIMENTO SEG À SEX:
DAS 9H ÀS 17H
Sindicato dos Bancários de Paranaguá

Movimento sindical cobra retomada das negociações e proposta decente da Fenacrefi

20/09/2022
/
109 Visualizações

O Coletivo de Negociação dos Financiários entrou em contato com a Fenacrefi nesta segunda-feira 19 solicitando retorno das negociações da Campanha Nacional dos Financiários. Desde a última reunião, ocorrida no dia 31 de agosto, que os trabalhadores aguardam nova proposta alinhada com as reivindicações da categoria.

Na reunião do dia 31 de agosto, as financeiras apresentaram proposta rebaixada, que foi recusada na mesa pelos representantes dos trabalhadores. Na ocasião, a Fenacrefi propôs 8% de reajuste nos itens econômicos para o próximo período de um ano, além de mudanças na regra da PLR (Participação nos Lucros e Resultados), mas a categoria, cuja data-base é 1º de junho, reivindica um reajuste maior, inclusive sobre os benefícios de vale alimentação e refeição. Reivindicam ainda um acordo de dois anos, e não apenas de um ano, como foi proposto.

“Desde então, os trabalhadores aguardam o retorno da mesa e uma proposta decente para a renovação de sua Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Os sindicatos exigem prioridade e urgência nesse retorno, com agendamento de uma nova rodada de negociação e proposta séria para fechar essa campanha salarial, que já está tão atrasada”, diz o coordenador do Coletivo dos Financiários, Jair Alves.

Jair ressalta que os empregados entregaram a pauta de reivindicações à Fenacrefi em 15 de junho e, desde então, as entidades sindicais estão cobrando uma postura de reconhecimento e valorização dos trabalhadores.

A pauta de reivindicações dos financiários foi construída coletivamente por meio de consulta e encontros de trabalhadores em todo o país.

Além de reajustes decentes nas cláusulas econômicas, a categoria quer a manutenção de todos os direitos previstos na atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) para o biênio 202/2024, a criação de um grupo de trabalho para tratar de temas relevantes à categoria, para maior organização dos trabalhadores do ramo financeiro. Para isso, os Sindicatos querem acesso aos locais de trabalho e mais informações das financeiras, para que as negociações possam ser mais representativas, para atender de fato às necessidades da categoria. (Fonte: seeb SP)

Notícias Feeb/PR

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS