HORÁRIO DE ATENDIMENTO SEG À SEX:
DAS 9H ÀS 17H
Sindicato dos Bancários de Paranaguá

Para pagar conta de luz, 72% dos brasileiros deixam de comprar produtos que consumiam, diz pesquisa

23/11/2022
/
108 Visualizações


Levantamento mostra que a energia elétrica é um dos maiores gastos de 67% das famílias (Por Jessica Brasil Skroch)

A maioria dos brasileiros, 72%, deixaram de comprar itens que consumiam para pagar a conta de luz. Os resultados são da pesquisa anual “Opinião sobre o Setor Elétrico”, realizada pelo Datafolha para a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) após ouvir 2.088 pessoas em 130 municípios brasileiros em julho de 2022. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

A pesquisa ainda revela que a conta de luz passou a pesar mais no orçamento de 83% das famílias nos últimos 12 meses, sendo um dos maiores gastos do mês para 67% dos entrevistados.

Além disso, 44% dos brasileiros deixaram de pagar alguma conta de luz no último ano. Desde a pandemia, 85% da população diz que passou a economizar energia para diminuir o valor da conta.

Em relação ao atual preço da conta de luz, 69% dos brasileiros acreditam que deputados e senadores são os principais responsáveis, enquanto pouco mais da metade (54%) concordam que o presidente da república é o principal responsável.

Escolha do fornecedor
A pesquisa também destaca que oito entre cada dez brasileiros querem ter o direito de escolher o fornecedor de energia elétrica, assim como é feito com os serviços de telecomunicações. O desejo segue em patamar elevado em todas as faixas de renda, escolaridade e classe social.

A expectativa é de que a portabilidade da conta de luz possa oferecer preços mais baixos. Mais da metade (54%) acredita que o preço da energia elétrica tende a diminuir com a medida. O restante considera que o preço não vai mudar (22%) ou vai aumentar (20%), e 4% não opinaram.

Segundo a pesquisa, dois em cada três brasileiros gostariam de poder comprar energia elétrica de diversos fornecedores até o fim deste governo. Esse desejo é ainda maior para o próximo governo (73%) no ano que vem. (Fonte: Estadão)

Notícias Feeb/PR

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS